Tratamentos Cirúrgicos

Você está aqui:

Implantes Penianos (Próteses Penianas)

Logo que os tratamentos para disfunção erétil via oral começaram, houve uma grande diminuição do número de implantes pois os pacientes desejavam tentar alguma outra solução que parecia menos agressiva que os implantes penianos. Passada essa etapa inicial, o número de implantes penianos voltou a crescer e superaram inclusive o número que era praticado antes da introdução dos tratamentos via oral. Os tratamentos via oral mostraram aos homens com disfunção erétil que esse problema era em boa parte dos casos de origem física e que tinha tratamento. Estudos recentes revelam que entre 40 e 46% dos brasileiros apresentam algum grau de disfunção erétil (*1,2) e que esse problema se torna ainda maior em decorrência da idade (*3,4)

É implantada em pacientes que tiveram que retirar o testículo devido a infecções (como conseqüência de parotidite) ou traumas ou mesmo naqueles pacientes em que os testículos não desceram para a bolsa escrotal como deveria. Sua função é meramente estética, mas sem dúvida alguma é uma excelente solução para substituir um ou os dois testículos e devolver ao homem uma segurança importante para sua felicidade.

Preferimos atualmente chamar as próteses penianas de implantes penianos pois, o termo prótese seria a substituição de uma parte do corpo, e não é o que acontece com os implantes que são colocados por dentro do pênis, ficando completamente internos e sendo altamente estéticos. Os implantes são uma excelente opção de tratamento para pacientes com disfunção erétil devido a causas orgânicas, e que não obtiveram sucesso com os tratamentos clínicos (medicamentos tópicos via oral, bomba de vácuo e auto-aplicação). A prótese devolve ao homem um “esqueleto” novo para o pênis, fazendo com que ele volte a ter relações sexuais com ejaculação e orgasmos normais. A avaliação psicológica do paciente deve ser cuidadosa, evitando-se criar falsas expectativas quanto ao resultado final. Pacientes com alto nível de ansiedade, deprimidos ou com baixa auto estima podem não ter o implante recomendado. O ideal é que a companheira participe e colabore com a cirurgia, mas isso exige a anuência do próprio paciente.

O implante peniano implica na substituição do mecanismo de ereção natural do corpo por um sistema de ereção artificial. Houve uma grande evolução nessa área nos últimos anos e hoje há diversos tipos de próteses disponíveis no mercado. Há próteses que são formadas por um tubo de silicone semiflexível e uma haste interna de platina ou prata e que mantém determinada tensão no pênis, há implantes articuláveis e também implantes que são formados por um sistema inflável em que o pênis fica ereto ou perde a ereção controlado por um dispositivo hidráulico de transmissão de pressão.

Estudos comparativos mostram que os implantes tem índices de satisfação acima dos outros tratamentos (*)

  • 93 % dos pacientes com implantes estão moderada ou totalmente satisfeitos
  • 51 % dos pacientes que utilizam tratamentos via oral estão moderada ou totalmente satisfeitos
  • 40 % dos pacientes com auto-aplicações estão moderada ou totalmente satisfeitos.
  • (*) A Rajpurkar, C Dhabuwala, Comparison of Satisfaction Rates and Erectile Function J.Urol 2003 July 170: 159-163

Benefícios do implante:
Permite o retorno a uma vida sexual;
Oferece uma solução a longo prazo;
Permite ter ereção e relação quando desejar;
Oferece uma ereção duradoura;
Elimina os gastos com medicamentos via oral ou injetáveis;
Não interfere na ejaculação ou no orgasmo.

Tipos de próteses

a) Maleável, tipo semi-rígido – Esse tipo de implante tem sido usado por médicos há mais de vinte anos. Durante essas duas décadas, foram desenvolvidos muitos modelos diferentes. Esse tipo de implante cria uma semi-ereção permanente e é tecnicamente fácil de implantar, e menos dispendioso além de ter um índice de complicação muito baixo.
O uso não exige nenhuma habilidade especial por parte do paciente ou da companheira.

b) Articulável – Esse tipo de prótese é mais um tipo à disposição do homem que busca uma solução para a disfunção erétil, mas deseja um tipo de prótese mais simples que as infláveis. É bastante indicada para homens que tenham alguma dificuldade em lidar com as próteses infláveis, mas que ao mesmo tempo queiram uma boa rigidez. O corpo segmentado permite colocar a prótese em qualquer posição enquanto mantém uma ereção suficiente para a relação sexual.

c) Inflável de dois volumes – Essa prótese combina os cilindros padrão da prótese de um volume com uma minúscula bomba escrotal que torna mais fácil inflar a prótese do que bombear as pontas dos cilindros da inflável de um volume. O esvaziamento é conseguido flexionado-se a prótese por 10 a 15 segundos. Apesar de exigir uma certa habilidade por parte do homem para manuseá-la, é bastante simples e, quando desinflada fica mais natural que a maleável.

d) Inflável de três volumes – Este implante inflável de vários volumes consegue uma ótima ereção: uma ereção verdadeiramente rígida, grossa e natural. É imperceptível aos olhos quando mole, e geralmente não pode ser notada ao se tocar o pênis. Encontra-se também disponível este mesmo implante só que com revestimento de antibiótico o que pode ser bastante recomendado em alguns casos específicos, visando evitar-se infecções

img_18O implante peniano é sempre feito em hospitais e é fundamental esclarecer antes ao paciente todos os detalhes básicos do procedimento tais como a irreversibilidade da cirurgia devido a destruição dos tecidos cavernosos, a disponibilidade dos diversos tipos de prótese (vantagem e desvantagens de cada uma) bem como todos os cuidados a serem tomados antes e após o ato cirúrgico. O paciente deve sempre assinar um termo de Consentimento Informado antes do procedimento, mostrando que tem total conhecimento do tipo de cirurgia que irá fazer bem como consciência de que há riscos como qualquer outra cirurgia. Um ponto que sempre tem que ser lembrado é que a finalidade do implante é de dar rigidez ao pênis e não de aumentar a dimensão do pênis como algumas pessoas pensam.

Dentre as opções de implante também surgiu um implante da empresa AMS chamado LGX (Length Girth Xpansion) que permite com uma expansão controlada atingir um aumento do diâmetro e do comprimento do pênis e é o implante que oferece uma ereção o mais próximo do fisiológico.

A escolha do tipo de prótese a ser utilizada depende das condições médicas do paciente, condições financeiras, estilo de vida e preferência pessoal. Nem sempre o implante mais caro será o melhor. Alguns pacientes, mesmo tendo condições, acabam por optar pela maleável por ser mais fácil de manusear. Já outros realmente optam pelas infláveis apesar do custo por serem mais discretas quando flácidas, oferecerem uma rigidez maior em casos de problemas venoclusivos mais sérios no pênis, permitem um enchimento maior.

Em alguns casos o homem com o passar do tempo apresenta alguns problemas orgânicos e com isso verifica uma diminuição no enchimento sanguíneo dos corpos cavernosos do pênis causando uma diminuição no diâmetro do mesmo o que pode ser corrigido substituindo-se esse implante maleável por um inflável que dá maior rigidez além de ajudar no diâmetro.

Até 1990 foi utilizada, mas com relativamente poucos resultados satisfatórios. Está atualmente sendo reavaliada com novas técnicas cirúrgicas principalmente, como foi apresentado no Congresso da AUA – American Urological Association em Atlanta – USA (2000) e do 9º Congresso da ISSIR (International Society for Impotence Research) na Austrália.
Conforme apresentado também no II Consenso de Disfunção Erétil, devido à falta de consistência dos resultados, a cirurgia arterial deve permanecer em nível investigacional, sendo indicada principalmente em casos de doença aorto-ilíaca e obstrução segmentar da artéria pudenda ou peniana pós-trauma.

No eixo aorto-ilíaco-pudendo, técnicas endovasculares poderão melhorar o fluxo sanguíneo para as artérias cavernosas, surgindo como uma alternativa promissora a ser introduzida no futuro.

É uma falha na retenção do sangue dentro dos corpos cavernosos. Quando o pênis enche, a pressão dentro dele aumenta, e as vênulas se abrem, permitindo o escape do sangue. Isso é chamado na medicina de incompetência venoclusiva dos corpos cavernosos, ou seja, fuga venosa, levando a uma perda de tonicidade e impossibilidade do ato sexual.
A cirurgia para correção de fuga venosa foi muito adotada até algum tempo atrás. Hoje em dia sabe-se que a cirurgia de fuga-venosa pode ter recidiva, portanto, com os modernos medicamentos existentes, a indicação e o tratamento cirúrgico para a fuga-venosa caiu muito e, somente em alguns casos específicos deverá ser adotado a nível investigacional conforme I Consenso Brasileiro de Disfunção Sexual – SBU 1998 .
É aconselhável nesses casos procurar um especialista (Andrologista) para orientá-lo a respeito.

Área de atuação

""
1
ENTRE EM CONTATO
Nome
Telefone
Assunto
Mensagem
0 /
Previous
Next